Planejamento tributário e seus impactos na empresa

Independentemente do porte, todas as empresas brasileiras precisam prestar atenção redobrada ao gerenciamento de notas fiscais e, claro, ao recolhimento de tributos. Boa parte das dores de cabeça enfrentadas por gestores seria evitada se houvesse um planejamento tributário adequado.

Isso significa que, além de gerenciar as finanças do negócio, é preciso encontrar a melhor forma de lidar com a complexa legislação tributária do Brasil. Se você sente que uma parcela considerável do faturamento da sua empresa é destinada a impostos e tributos, saiba que o problema pode ser amenizado.

Quer entender como um bom planejamento é fundamental para diminuir o impacto dos tributos no seu negócio? Não perca as informações valiosas que fornecemos a seguir!

O que é o planejamento tributário?

Basicamente, trata-se da preparação de uma empresa para gerenciar todas as obrigações fiscais que ela tem perante o fisco. Por sinal, o ideal é que cada área da organização realize suas respectivas ações com base em um planejamento. Como os tributos interferem bastante no lucro da empresa, o estabelecimento de uma gestão tributária é algo que não pode ficar para depois.

Por que ele é tão importante?

Esse planejamento deve ser estratégico e, ao mesmo tempo, operacional. Esses dois pontos são decisivos para o sucesso de qualquer negócio em um período de médio e longo prazo. 

Estratégico

A ala estratégica está relacionada à definição do modelo de tributação mais vantajoso para o negócio, sendo determinante para que a empresa pratique a elisão fiscal. Desse modo, o gestor fica ciente de todos os fatos geradores de tributos que podem ser evitados. Além disso, é possível ter uma visão mais abrangente de todos os benefícios fiscais que podem ser usufruídos pelo negócio.

Muitas vezes, algumas empresas até sabem que têm direito à isenção parcial ou total de determinados impostos federais. Contudo, ignoram a extensão desses benefícios. É importante notar que os eventuais descontos dependem de muitos fatores, como o ramo de atuação da empresa.

De qualquer forma, uma das funções do planejamento de pagamento de tributos consiste justamente em avaliar as políticas de incentivo fiscal vigentes. A partir daí, fica mais fácil identificar se há algum benefício que passou despercebido pela gestão da empresa.

Operacional

No que diz respeito à parte operacional, o planejamento em questão envolve a criação de um calendário fiscal que abranja todas as responsabilidades fiscais do negócio. Soma-se a isso a emissão de relatórios atualizados sobre os gastos derivados do cumprimento desses compromissos.

O resultado final proporcionado pela união de todas as ações mencionadas é uma redução significativa do total a ser recolhido em tributos. De forma totalmente legal e transparente, a empresa economiza em dobro, porque não apenas mantém o pagamento dos impostos em dia, evitando multas por atraso, como também recebe os abatimentos assegurados pelas leis tributárias.

Nesse cenário, a organização fortalece suas bases financeiras, algo essencial em variados momentos. Ao adotar um planejamento detalhado para pagar impostos e outros tipos de tributo, surge uma cultura da antecipação de problemas.

Muito mais efetiva do que a tradicional remedição, essa cultura ajuda a manter a saúde financeira do negócio. Como você deve saber, tal proteção concedida ao caixa é vital para a sustentação e crescimento do negócio — intimamente ligado à política de reinvestimentos.

Por todos os aspectos levantados, fica nítido que a empresa só tem a ganhar com a introdução de um planejamento tributário. A grande questão que sobra se refere a como implantá-lo da melhor maneira. Mas fique tranquilo, pois é exatamente isso que abordaremos na sequência.

Como fazer o planejamento tributário da sua empresa?

Para que o planejamento propicie os efeitos desejados, ele precisa cumprir certos requisitos, como apresentaremos a partir de agora.

Definição do regime de tributação da empresa

Antes de qualquer coisa, você deve avaliar qual é, de fato, o modelo tributário mais apropriado ao negócio. O regime escolhido será responsável por guiar o restante do planejamento, já que os valores e a própria forma de recolhimento sofrem alterações.

Entre os modelos disponíveis, considere o seguinte:

Simples Nacional

Como o nome indica, consiste em um regime de tributação simplificado. Na prática, isso se caracteriza pelo pagamento unificado de impostos (IRPJ, ICMS e CSLL, por exemplo). Além dessa facilidade, o Simples oferece alíquotas mais atrativas sob o ponto de vista financeiro.

Fica a ressalva de que nem toda empresa tem o direito de aderir a ele. Via de regra, o faturamento anual não pode ultrapassar a faixa dos R$ 3,6 milhões. Mas existem alguns setores que têm a adesão ao Simples vedada.

Lucro Real

Caso sua empresa exiba um faturamento superior a R$ 78 milhões, ela será invariavelmente enquadrada no Lucro Real. Em termos de complexidade, essa alternativa de regime fica à frente das demais, uma vez que a base de cálculo está vinculada ao lucro total do negócio.

Lucro Presumido

Nesse arquétipo, o valor a ser desembolsado em impostos tende a ser inferior ao que seria cobrado no Lucro Real. No entanto, a margem de lucro da empresa deve ficar acima daquelas estipuladas pelas diretrizes do Lucro Presumido. Lembre-se de que a base de cálculo do respectivo modelo leva em conta uma estimativa do lucro.

Consultoria especializada em gestão tributária

O auxílio prestado por uma consultoria tributária também faz diferença na qualidade do planejamento. O suporte de um especialista se mostra imprescindível já no momento da seleção do modelo de tributação mais indicado para o negócio.

Durante o processo, existem algumas particularidades que geralmente passam batidas pelos empreendedores. Ao lado de uma consultoria especializada, você estará muito mais preparado para definir o regime tributário ideal.

Ao ser guiada por um profissional experiente em tributação, a empresa também recebe um mapeamento dos tributos que ela realmente deve pagar. Em outras palavras, você não corre o risco de desembolsar valores a mais, além de aprender a praticar uma elisão fiscal detalhada e, portanto, muito econômica.

Soluções tecnológicas que otimizem os processos

Finalmente, o sucesso da implantação do referido planejamento está intimamente atrelado à adoção de ferramentas tecnológicas modernas. Elas são primordiais para automatizar uma série de processos, tornando-os mais rápidos e, sobretudo, precisos. Logo, não hesite em utilizar um sistema de gestão que facilite o cotidiano operacional do seu empreendimento.

Um planejamento tributário alinhado aos objetivos do seu negócio é um dos grandes segredos das empresas bem-sucedidas do mercado. Elas entendem que, em vez de ignorar os tributos, é necessário se planejar e aplicar uma metodologia de gestão fiscal que renda os resultados esperados. O raciocínio vale tanto para as organizações que usam o Simples, como para aquelas enquadradas no Lucro Real ou Lucro Presumido.

A Pascon e Freitas é um escritório de contabilidade na grande BH que oferece um atendimento personalizado aos clientes, através da sua capacitada equipe técnica multidisciplinar.

Agende uma consultoria agora mesmo, ligue (031) 99468-4800 ou chame a gente no WhatsApp clicando aqui.